Mudanças, mulher das cavernas, ânimo zero e sonhos estranhos

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Mudança de layout. Outra mesa, novo grupo de trabalho (nem tão novo porque, de certa forma, já trabalhei com eles)... Longe da minha amiguinha Camilla (que por sorte vai embora daqui para alçar vôos maiores)... Pouco tempo, muita necessidade de rápida adaptação. A boa notícia? Segundo meu vizinho de computador, estou no melhor lugar que poderia, pois ninguém o ocupa por muito tempo. Espero que desta vez eu seja regra e não exceção.

Ontem Biel teve que tomar aquela injeção horrível, tal de Bezetacil. E eu lá, chorando junto com ele. Mas o pior é que ele ainda não está bom: passou mal de madrugada e ainda tá passando mal agora de manhã. Eu sei que criança é assim mesmo... Mas, gente, dói meu coração.
Falando em criança doente, ontem o consultório estava lotado. É rede particular ou pra quem tem plano de saúde (imagine se não fosse). Sorte eu ter levado Biel só pra tomar injeção. Se tivesse que ser atendida pela médica que estava lá, ia rolar barraco. Porque a anta saiu de dentro da sala dando esporro em todo mundo porque estavam todos muito perto da porta e isso a estava estressando, blábláblá. Foi tão grosseira que teve até mãe chorando. Sabe aquelas criaturas ignorantes, quase um homem - ops, mulher - das cavernas? Ela é uma destas. Por sorte, a ferradura atirada pela “doutora” (engraçado chamar de doutora... por acaso ela fez doutorado?) não fez vítimas fatais. Mesmo sem ter sido atendida por essa “coisa”, ia fazer uma reclamação formal sobre ela. Imagina: você chega lá, com seu filhinho doente, fragilizada, e tem que ouvir uma desequilibrada dando crise? Ninguém merece. Só não fiz a reclamação porque meu filhinho tava tão ruinzinho que pediu meu colo, deitou a cabecinha no meu ombro e nem se mexeu mais – mesmo estando acordado. Então, eu deixei tudo de lado e apenas o levei pra casa.

Hoje ainda é quarta-feira e meu ânimo é zero. E ando sentindo mais sono que o normal (mas não consigo dormir na viagem de ônibus. Vai entender...).

Nem todos os elogios do mundo sobre como sou inteligente, competente e ótima funcionária são capazes de me animar (no momento, não têm nenhum impacto. Mas esses comentários pra mim já foram até motivo de revolta, pois são essas "qualidades" que me impediram de voltar a embarcar). Aliás, sonhei esta noite (e não falo desses sonhos que a gente tem acordado... Falo de sonhos que temos dormindo mesmo) que estava na plataforma, trabalhando. Já sonhei com isso várias vezes; pergunto aos meus colegas que embarcam se eles costumam sonhar isso também. Mas eles não costumam. "Você tá doida", "isso não é sonho, é pesadelo"... foram algumas das frases que já ouvi ao fazer esta pergunta. Definitivamente eu tenho uns parafusos soltos na cabeça mesmo...

5 comentários:

Palavras Vagabundas on 3 de novembro de 2010 11:13 disse...

Tati, bom dia!
Espero que Gabriel tenha melhorado.
Eu atualmente sou bem chata, devia ter feito uma reclamação contra essa médica. Ela é paga por quem está lá e não está fazendo favor a ninguém. Entendo que na hora você estivesse mais preocupada com se filho, mas...
Outra coisa, eu como mãe de duas fihas, hoje adultas, jamais permiti darem Benzetacil para minhas filhas! Esse é um daqueles antibioticos que dão resistência a vírus e bactérias, ou seja, o dia que elas realmente precisarem, estariam tão cheias do remédio que ele não faria efeito ou seria ineficiente. Converse com seu pediatra sobre isso. Se foi realmente necessário, tudo bem! Mas sempre pergunte se não há alternativa a esse remédio.
bjs
Jussara

Tathiana on 3 de novembro de 2010 12:57 disse...

Obrigada pelas dicas, querida! Acho que a médica dele receitou porque os outros antibióticos que ele tomou não resolveram o problema.
BJs.

Jens on 3 de novembro de 2010 16:00 disse...

Oi Tathi.
Desejo que o Gabriel melhore rapidamente. Sei que não consola, mas saiba que já passei por aflição semelhante quando a minha Mariana era pequena: eu tinha que segurar as perninhas dela para que a mãe aplicasse a injeção. Não gosto nem de lembrar.
Assino embaixo das observações da Jussara a respeito do uso de antibióticos. A Mari só se curou com um remédio alternativo, receitado por um médico das antigas - o mesmo que tratou de mim quando pequeno. O problema é que alguns médicos com pouca experiência adoram receitar antibiótico para tudo, como se fosse uma poção mágica. Reforço a recomendação: fale com o pediatra a respeito.
***
Quanto às tuas dores da alma, não sei o que dizer. Se eu tivesse poder tanto, já estarias embarcada, trabalhando onde te sentes feliz. Como não tenho, só me resta recomendar que tenhas paciência, tudo há de se resolver da melhor maneira possível. Pensa que o verão está chegando - tempo de sol, praia e alegria.
Você não merece viver atormentada.

Um beijo.

DO on 3 de novembro de 2010 16:20 disse...

Espero que o filhão ja tenha melhorado,Tathi.
Mas é impresionante o que não fazem os ditos "profissionais da saude". Como vc disse: isto pq são atendidos por quem tem plano de saude. Imagine quem não tem.
Beijos!

Daniel Savio on 5 de dezembro de 2010 15:59 disse...

Será que cabe dizer que está médica é uma mal amada?

Hua, kkk, ha, ha, pois penso que sim.

E para o meu eterno azar, estou embarcado com "Rio", maior melda.

Fiquem com Deus, menina amiga e sobrinho.
Um abraço.

 

Copyright © 2010 Laço do Infinito by: Templates Mamanunes
Imagens Vetoriais: Easy Vectors Edição: Mamanunes