Acidente, dinheiro, creche e trabalho

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Ontem levei 4 horas na estrada a caminho de casa (geralmente o percurso é algo entre 2 a 2 horas e meia, dependendo do trânsito). Motivo: acidente. Um morto (o que não usava cinto de segurança) e dois feridos. Nos faz ver quanto nos expomos nessa ida e volta todos os dias. E nos lembra como a vida é frágil.
Sorte minha estar de carona. Se tivesse ido no ônibus, certamente chegaria muuuuito mais tarde em casa. E, pra mim, tempo é valioso (por ser raro).

Abrindo uma exceção (porque quando chego em casa não quero sair mais), fui à padaria com Biel e quando recebi o troco ele falou " 5 reais" (e estava certo). O moço da padaria ficou boquiaberto. Eu também. Porque eu sabia que ele reconhecia as notas de 2,00 e de 20,00 - esta última é a preferida dele (amarela, com desenho do mico leão). Mas as demais? Eu não fazia idéia. A babá deve ter ensinado, sei lá. De qualquer forma, não acho muito bom que ele se interesse tanto por dinheiro em tão tenra idade! rs. Prevejo sérios prejuízos (ao meu bolso) em curto período de tempo. Porque, mesmo sem noção de valor exato, ele sabe que o dinheiro ou cartão são as formas de comprar as coisas que ele quer (tive que ensinar porque ele me fazia passar vergonha agarrando as coisas nas lojas e saindo correndo como se tudo no mundo fosse dele. Mal de filho único, acho. Aí, ensinei que tinha que pagar antes, coisa que ele aprendeu rapidamente).

Falar no meu anjinho levado, vai entrar na escolinha este ano. Decidi em qual creche, a dificuldade é vaga - fui agir isso meio atrasada, né? Pelo menos aprendi e ano que vem já sei qual a época da matrícula (dezembro). Mas, com minha lábia, consegui inclusão na turminha da manhã: Maternal 2. Tá, não foi só a lábia: as diretoras da escola lembram de mim e do rápido período de 3 ou 4 meses em que meu filho ficou lá no regime de berçário (o que elas lembram é que eu chorava muuuuito mais que meu filho e tinha que ser consolada até pelas moças da cozinha quando deixava Gabriel lá. Tá, não é uma lembrança muito "digna", né? rs. Mas ajudou). E o tal maternal 2 tem aulinha de inglês e tudo!!! Decididamente diferente da minha época. E olha que eu frequentei boas escolas porque minha mãe trabalhava na antiga Rede Ferroviária (infelizmente privatizada há alguns anos atrás) e a empresa pagava boa parte das despesas (mas eu também tive meu mérito: acabei estudando de graça porque consegui bolsa de estudo no ginásio - quando a Rede Ferroviária já não mais ajudava nos custos escolares - graças ao meu excelente desempenho nas séries anteriores. Em resumo, eu era a melhor aluna da escola - vulgo "nerd"... rs). Seguindo exemplo de minha mãe, colocarei meu filho numa creche excelente. E agora, tenho que ser justa: apesar de malhar meu trabalho e ter mil coisas a reclamar sobre tudo aqui, a empresa onde trabalho custeia (boa) parte das despesas.

Bom, hoje é um daqueles dias que resolvi não me matar de trabalhar aqui. É por isso que estou tendo tempo de escrever esse post. Não que eu tenha ficado aqui com a cara pra cima. Ao contrário, trabalhei bastante. Mas sabe aqueles trabalhos chaaaatos? Pois é. Pra não ter overdose de chatice, resolvi dar um tempo. Vou voltar à labuta agora. Ah, esse maldito senso de responsabilidade...!

Tenhamos força. Amanhã é sexta-feira.

5 comentários:

Jota Effe Esse on 14 de janeiro de 2011 06:07 disse...

Mania de trabalhar? Isso pega! Meu beijo.

christine on 14 de janeiro de 2011 11:54 disse...

Ah, Thati... esse negócio de dinheiro e crianças está cada dia mais precoce...rs O Octávio (que tem 17 anos agora) quando queria alguma coisa e eu falava que não tinha dinheiro ele falava, vai lá no banco com seu cartão e pega...rs
Aí também tive que explicar que se eu não tenho dinheiro no banco o cartão não "fabrica". Boas lembranças...
Beijo e boa sorte na escola. Se ele já é super esperto, vc vai ver como ficará daqui há algumas semanas! :)
Chris

on 16 de janeiro de 2011 00:03 disse...

O Gabriel é muito inteligente hein hoje em dia as crianças são muito precoce né Tathy.Que bom que vc conseguiu matricular ele numa boa escolinha.Tenha um otimo findi.bjus

Mauri Boffil on 17 de janeiro de 2011 11:22 disse...

hahahaha, que espertinho! Eu demorei a conhecer dinheiro... e pensava que moeda não era dinheiro, visto que minha mãe colocava as ditas no buda

Daniel Savio on 18 de janeiro de 2011 16:24 disse...

Hua, kkk, ha, ha, ele vira para o lado negro dos "tios Patinhas", isto sim...

Hua, kkk, ha, ha, o tio chato com a mania de tio Patinhas.

Fiquem com Deus, amiga e sobrinho.
Um abraço.

 

Copyright © 2010 Laço do Infinito by: Templates Mamanunes
Imagens Vetoriais: Easy Vectors Edição: Mamanunes