Das Lutas

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Acho que sei o que te prende: você não consegue olhar para frente. Tudo bem... Sentar e ficar olhando para trás, perdendo o presente das novas oportunidades, é uma escolha. Só que não serve para mim. Ficar fingindo uma nova chance que nunca veio de verdade, também não me é viável. Tenho lutas reais, batalhas verdadeiras, internas e externas, que preciso vencer todos os dias. E eu preciso de alguém que vista a armadura e venha comigo. Mas você está ocupado demais guerreando contra dragões imaginários e moinhos de vento. Ocupado demais para olhar para mim e conseguir me ver, conseguir ver tudo que mudou. Mas, também, sejamos honestos: as mudanças vieram apenas de minha parte, o que já torna a coisa toda muito injusta. O que sei é que, no momento, fitamos direções opostas: você revive o passado, eu olho o presente e me preparo para vislumbrar o futuro. Não que seja exatamente mérito meu: acontece que, a mim, nenhuma escolha foi dada. Sou lançada à arena todos os dias e ninguém me pergunta se estou pronta ou disposta. Mesmo sem vontade, preciso vencer as lutas diárias. Ainda que seja apenas por causa daquele que me é mais precioso nessa vida – creio que o único motivo pelo qual vale a pena continuar.

Desculpe, mas não posso mais permitir que você me arraste ao abismo. E essa é só mais uma pequena guerra interna que terei que travar.



Things Will Never Be The Same - Roxette


Lay it down, pull my heart to the ground.


Time's getting cold, now the leaves all turn hard and blue.


And I know when I gaze to the sun.


No place to hide I got nowhere to run from you, away from you.



Hold me now, girl, I don't know when,


When we will ever meet again.


That was then, baby, this is now,


I try to get over you.



Losing you...


Things will never be the same.


Can you hear me call your name?


If we changed it back again


Things would never be...



In your hand, babe, I don't understand,


You've got the eyes of a child


But you hurt like a man always do, always do.



Touch me now, girl, I don't know when,


When we will ever meet again.


That was then, baby, this is now,


Time won't get over you.



Losing you...


Things will never be the same.


Can you hear me call your name?


If we changed it back again


Things would never be the same.






(Tradução) As Coisas Nunca Serão As Mesmas


Deite-o, arraste meu coração para o chão.


O tempo está ficando frio, agora todas as folhas ficam rígidas e tristes.

E eu sei, quando contemplo o sol,


não há lugar para me esconder, nenhum lugar para fugir de você, para longe de você.


Abrace-me agora, garota, não sei quando,


quando nos encontraremos novamente.


Aquilo foi antes, baby, isto é agora,


eu tento superar você...



Perder você...


As coisas nunca serão as mesmas.


Você pode me ouvir chamar seu nome?


Se voltássemos novamente,


as coisas nunca seriam...



Na sua mão, baby, eu não entendo,


Você tem os olhos de uma criança


Mas magoa como um homem sempre faz, sempre faz.




Toque-me agora, garota, não sei quando,


quando nos encontraremos novamente.


Aquilo foi antes, baby, isto é agora,


o tempo não conseguirá superar você...



Perder você...


As coisas nunca serão as mesmas.


Você pode me ouvir chamar seu nome?


Se voltássemos novamente,


as coisas nunca seriam as mesmas.






8 comentários:

Fatima Valeria on 30 de junho de 2011 21:06 disse...

Suas palavras vem do coração, por isso gosto delas. Sabe, se entendi bem, podemos resumir assim: As pessoas se desenvolvem de maneiras diferentes, nem sempre compatíveis, principalmente quando o "viver" torna-se a busca. Outra palavra, que também cabe é atitude,não tenha medo dela! Abraços

Autor on 1 de julho de 2011 16:28 disse...

Força, mocinha!
A gente entra em guerras particulares todos os dias. Acabamos vencendo muitas delas.
Bjos

Jussara on 11 de julho de 2011 00:41 disse...

Um tempo sem aparecer, mas não esqueci.
Um abraço bem apertado e força.
bjs
Jussara

DO on 12 de julho de 2011 10:05 disse...

Interna ou não,é como sempre dizem: tudo tem um limite na vida.
Força,Tathi!!

bjo

on 13 de julho de 2011 22:09 disse...

Tathi estava sumida mais não esqueci de vc ...Força querida ..desistir jamais ...Bjus

Luma Rosa on 15 de julho de 2011 22:40 disse...

Ainda bem que não se perdeu no passado! Como dizem: A fila anda!!

Bom fim de semana!! Beijus,

Ludi on 6 de agosto de 2011 22:18 disse...

Eu vivo em luta constante contra o meu passado... se pudesse esquecer tanta coisa... afinal, certeza que muitas coisas me prendem e não me deixam seguir em frente!
Um dia de cada vez...
Beijos

Daniel Savio on 22 de novembro de 2011 12:30 disse...

As vezes sou eu que me arrasto para o abismo...

Fiquem com Deus, amiga e sobrinho.
Um abraço.

 

Copyright © 2010 Laço do Infinito by: Templates Mamanunes
Imagens Vetoriais: Easy Vectors Edição: Mamanunes