Porque estou cansada dessa vidinha medíocre (Post de revolta)

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

- Porque meu atual conceito de intimidade é dormir dentro do ônibus na vinda pra Macaé e acordar assustada com a cabeça a milímetros do ombro do cara que vem ao meu lado (e, diga-se de passagem, nem sei o nome!).

- Porque estou cansada de ouvir/ler sempre a mesma coisa. E responder sempre a mesma coisa e parecer que eu estou falando chinês.

- Porque tô cheia de “levar a fama sem ter deitado na cama”. Devia ter aproveitado as oportunidades e fazer tudo que acham que fiz e mais um pouco (ou muito mais).

- Porque se faço 99% e não completo 100%, eu não presto.

- Porque me dizem, “faça isso porque você não está feliz aí”, como se a pessoa realmente se importasse com minha felicidade.

- Porque tenho 32 anos, 1 filho de quase 2 e minha família acha e me trata como se eu tivesse 16. Odeio dar satisfação, sempre odiei. Aliás, se não fosse meu filho, eu ia embora – um lugar só meu, mesmo que fosse um "muquifo"! De qualquer forma, eu ainda vou fazer isso – não agora, mas espero que num futuro próximo (ou pelo menos de médio prazo).

- Porque enchi o saco da minha família achar que sou doida quando ali tem gente precisando de tratamento psiquiátrico muito mais que eu, embora não queiram admitir.

- Porque ando sem vontade nenhuma de ficar com meu pai no hospital nas minhas raras horas livres (querem dizer que sou péssima filha? Digam. Não ligo. Tenho consciência de que fiz e faço por ele muito mais do que ele já fez ou fará por mim um dia. E minhas irmãs também. Não acho justo ter que pagar pelas escolhas erradas que ele fez, já pago pelas minhas – e sozinha! Então, levantem as mãos pro céu quem teve um bom pai – não foi meu caso).

- Porque meu “chefe” temporário encheu meu saco hoje a manhã toda! Eu não to nem aí pra esse trabalho ridículo que me obrigam a fazer.
   E porque a única manifestação possível do meu desagrado foi ficar lá na entrada da empresa semana passada com cerca de umas parcas 20 pessoas do sindicato que reivindicavam mudanças - enquanto a maioria dos babacas (gente que só sabe reclamar do salário, mas não tem peito nem de emitir som se souber que o gerente está num raio de 100 Km) entrava sem dar a menor atenção. A propósito, o sindicato devia organizar melhor essas manifestações: se eu soubesse antecipadamente, teria levado um cartaz escrito “Não, não, não ao desvio de função!!!”
   Definitivamente, nasci no país ou na época errada. Ou as duas coisas. Vergonha de fazer parte de um povo que assiste a todo tipo de roubalheira e corrupção e prefere ficar conversando sobre o que aconteceu no capítulo anterior da novela das 8.

- E pra finalizar, porque até meu motivo de alegria é medíocre e efêmero: consiste no fato de hoje ser sexta-feira e eu ter decidido que vou embora exatamente daqui a 10 minutos.

Fim do expediente!

3 comentários:

Carlos Medeiros on 11 de setembro de 2010 13:50 disse...

É difícil união numa greve, manifestação, etc. Já participei, e não participo mais, muitos dos que estão ali, entregam o ouro sob uma mínima pressão.

Ludi on 12 de setembro de 2010 00:30 disse...

Situações delicadas hein...
Engraçado como a gente nunca está satisfeito com a vida que leva! E olha que tem gente bem pior que nós!
Mas Renato Russo conforta "Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã, espera que o sol já vem..."
Beijão

Daniel Savio on 15 de setembro de 2010 20:46 disse...

Aff, você sabe que pode contar comigo para te dar um pouco de colo, não sabe?

Fiquem com Deus, amiga e sobrinho.
Um abraço.

 

Copyright © 2010 Laço do Infinito by: Templates Mamanunes
Imagens Vetoriais: Easy Vectors Edição: Mamanunes